Arquivo do mês: junho 2010

A autora e seu alter ego (2)

(Continuando a busca pela frase de abertura de um novo livro) Laura não pensou muito antes de fechar a porta à chave. (Esquece. Começar um livro fechando uma porta, ainda mais à chave, não dá.) Soledad olhou para o final … Continuar lendo

Publicado em Cotidiano | Deixe um comentário

A autora e seu alter ego

(Tentando começar a frase de abertura de um novo livro) Toc toc toc! (Essa não pode, você já usou antes.) Era uma vez, na cidade de- (Pelo amor de Deus, essa é do tempo do começo da escrita. Não tem … Continuar lendo

Publicado em Cotidiano | 2 Comentários

Literatura que preste

No Caderno Sabático da semana passada no “Estadão”, uma notícia bacana: Sidney Rocha, escritor pernambucano, está organizando uma coletânea de contos, a ser publicada em tempo recorde pela Iluminaras, e cuja renda será totalmente revertida para as vítimas da catástrofe … Continuar lendo

Publicado em Cotidiano | Deixe um comentário

Sexta de contos

“Uma Pérola de Garota”, o conto do final de semana, está publicado na edição atual da Revista Literária Germina: Ao abrir no link, passe o mouse por cima dos quadradinhos vermelhos que aparecem logo abaixo do título da revista, e … Continuar lendo

Publicado em Contos | Deixe um comentário

Mentiras e verdades (3)

“A Lei do Paradoxo do Romance: leitores e escritores tratam a narrativa ficcional como verdadeira, mesmo reconhecendo que ela é manifestamente falsa. Claro, sabemos que a história é inventada. Todos os melhores escritores nos dirão isso, se perguntados. Nem foi … Continuar lendo

Publicado em Cotidiano | Deixe um comentário

“A Teta Assustada”

Já falei em outro lugar sobre esse filme, mas como ele voltou ao cartaz (pelo menos em São Paulo), quero entusiasticamente recomendá-lo. É um filme peruano que concorreu ao Oscar como melhor filme estrangeiro. Diretora: Claudia Llosa. O filme conta … Continuar lendo

Publicado em Cotidiano | 4 Comentários

O leitor, esse parceiro

É curioso pensar que, ao ler um livro, o leitor faz o reverso do processo que o escritor fez ao escrevê-lo. Os personagens, das páginas onde o autor os deixou depois de imaginá-los, saem direto para a imaginação de quem … Continuar lendo

Publicado em Cotidiano | Deixe um comentário