A letra de uma canção antiga

Para vocês, sem nenhum motivo maior, a letra de uma música que minha mãe sempre cantava quando viajávamos de carro e passávamos por alguma serra.

Na Serra Da Mantiqueira
de Gastão Formenti

Na Serra da Mantiqueira
Sob a fronde da mangueira
Que ela em moça viu plantar,
Sentadinha no seu banco,
Lá na encosta do barranco,
Mãe Maria vai sonhar.
Dos amores do passado
Só lhe resta um filho amado
Que lhe dá felicidade.
Ele é todo o seu encanto,
Sua vida, o fruto santo
Da longínqua mocidade.
E nas nuvens que, correndo,
Vão no céu aparecendo
Pra no ocaso descansar,
Ela vê os belos dias
De venturas e alegria
Que não mais hão de voltar.
Eis, porém, que veio a guerra
Abalando toda a serra
Com o rugido do canhão.
E a velhinha amargurada
Viu seu filho lá na estrada
Se sumir num batalhão.
Segurando o rosário,
No seu banco solitário,
Mãe Maria reza agora,
Pede a Deus ardentemente
Que lhe mande o filho ausente
Que já tanto se demora.
E, numa tarde, ao sol poente,
Ela escuta de repente
A voz meiga do rapaz,
Que lhe diz, tal como em vida:
“Muito em breve, mãe querida,
Lá no Céu me encontrarás!”

Anúncios
Esse post foi publicado em Cotidiano. Bookmark o link permanente.

7 respostas para A letra de uma canção antiga

  1. yuribaiocchi disse:

    Maria José, a Dona Diva de seu livro “Cidade de Carne e Osso”, é a sua avó, não é?

    • Sim, Yuri, é a Dona Diva Hilária de Freiras, lembra dela? 🙂

      • yuribaiocchi disse:

        Na verdade não a conheci pessoalmente, somente por fotos. Tenho algumas fotos dela em meu arquivo, mas nunca soube que o nome completo era Diva Hilária. Acho que nem sua prima Dulce sabe, pois nunca comentou, e outra pergunta a Miriam que você agradece no começo do livro é Myrian Rios Brandão, sua prima?

        O seu apelido deve ser Zezé, comentei sobre você com a minha bisavó, ela me falou que essa Maria José devia ser uma das irmãs da Lúcia e do Flávio, com o apelido de Zezé, mas eu acho que ela nunca te viu, ela só tem contato com esses seus dois irmãos (Acho que é por causa de Política).

        Quando você descreveu a casa da sua avó, me lembrou muito a Casa da minha bisavó, porém a dela se localiza na Rua do Rosário, onde seu avô Antônio cresceu e se casou, o antigo casarão do Coronel Tubertino Ferreira Rios, até hoje com as mesmas características, é a segunda casa mais antiga de Jaraguá, os portais, as potas e janelas são as mesmas, tem até algumas fotos de seu avô Antônio na Varanda. A única parte que mudaram foi o antigo quarto de Vô Tubertino e Vó Lili, e as iniciais na parede, isso em 1990, mas depois minha bisavó comprou a casa do Nelson de Castro, e mais nada mudou.

        Abraços!

  2. OI, YURI:
    quem é sua bisavó? Quanto a mim, sou mesmo irmã da Lucia e do Flávio e Otávio, além de mais quatro. Somos oito irmãos.
    Quanto à Mirian do livro não é a Mirinha que, sim, é minha prima também mas Mirian Rios Cerqueira, outra prima, filha da tia Maria Madalena, irmã mais velha da minha mãe, Galiana.
    Sei onde é essa casa da qual você fala.

    • yuribaiocchi disse:

      Minha bisavó se chama Carmen Ferreira Rios, é a oitava filha do Des.dor Augusto Ferreira Rios e de D.ª Rosa Ferreira Rios, ela é sua prima por segundo grau, seu pai chegou a ficar hospedado na casa dos pais dela quando ela era moça, sabia? Atualnente ela tem 90 anos, é viúva e mora no casarão onde cresceu. Ela morou em Goiânia, e depois na sede de sua fazenda, o SITINHO. E meu bisavô era político, já a Lúcia e o Flávio são os que ela conhece. Seu pai chegou a pedir a
      mão dela em noivado, mas na época olha
      só quem ela namora, o futuro adversário político de seu pai, Otávio Lages, ironia do destino eu acredito. O pai dela, Augusto Rios
      era muito amigo do seu pai, e até tentou convencê la, mas não conseguiu, as famías de Rosinha e Tone, ficaram muito separadas, há pouco tempo os filhos de Yêda juntamente com sua prima Dulce Madalena a visitaram algumas vezes, comeram biscoito de queijo, na mesma mesa, na mesma casa, que
      nossos ancestrais comiam, contaram estórias, viram fotografias, e hoje se conhecem.

      conhecem, outro fato
      e

      • yuribaiocchi disse:

        Estou digitando pelo celular, por isso está saindo algumas palavras erradas.

  3. Quanta informação, Yuri. Quando for a Goiás Velho também apareço lá para comer biscoito de queijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s