Um SENHOR lançamento

Passei o final de semana curtindo a bela edição de “O MELHOR DA SENHOR – Uma coleção de artigos, entrevistas, fotos, cartuns, anúncios e ousadias gráficas da revista que marcou época (1959-1964)”, concebida por Maria Amélia Mello, organizada por Ruy Castro, e publicada pela Imprensa Oficial.

Que ideia maravilhosa essa (obrigada, Maria Amélia!): publicar pelo menos uma parte da história dessa revista que marcou época.

Para quem não sabe, a “Senhor” foi uma das mais ousadas e modernas revistas que tivemos por aqui. Belíssima, sofisticada, com artigos e primeiras edições de contos e novelas de escritores que fazem parte de nosso time dos grandes (como Guimarães Rosa, de Jorge Amado, de Clarice Lispector), e de obras traduzidas. De vida curta, tornou-se um tipo de mito meio inacessível já que não havia onde encontrar seus antigos exemplares.

Falando assim, até parece que acompanhei a revista mas não foi bem isso. Só tive, acho, um número dela nas mãos – aí pelos meus 15/16 anos – mas li ali um artigo de que não me esqueci. Era do Paul Singer, e falava sobre liberdade. Claro que não me recordo quase nada, mas suponho que deveria falar sobre como a liberdade era uma das coisas mais importantes de se ter. Aos 15/ 16 anos, morando em Brasília – e filha de um verdadeiro pai de donzela – não é difícil imaginar porque fiquei tão impactada, embora, com essa idade, provavelmente tenha tomado essa questão de um ponto de vista muitíssimo pessoal.

Suponho também que a revista deve ter morrido pouco depois disso, pois nunca mais tive a sorte de ter um exemplar nas mãos. Foi uma senhora surpresa, portanto, quando Felipe chegou em casa com o pacote vindo da Bienal.

Pena que o artigo do Paul Singer tão afetivamente guardado em minhas lembranças não conste dessa coleção. Mas não importa. Os textos selecionados agora são maravilhosos e é extraordinário verificar como a fama que ela teve foi redondamente merecida.

A revista morreu em janeiro de 64, portanto, antes do golpe. Se não tivesse morrido, certamente morreria logo depois. Uma revista tão ousada como aquela não teria como sobreviver em uma ditadura.

Anúncios
Esse post foi publicado em Cotidiano. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Um SENHOR lançamento

  1. Izilda Bichara disse:

    E como consigo um exemplar, Maria José? Está à venda nas livrarias ou se trata de tiragem e distribuição limitadas?

  2. Deve estar à venda nas livrarias, com certeza, Izilda. É um lançamento comercial.
    Beijocas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s