De Ian McEwan

Em um discurso muito muito bom, Ian McEwan diz por que aceitou o prêmio Jerusalém, dia 20 de fevereiro passado.
De lá, tirei esses dois trechos:

“… o romance se tornou nosso melhor e mais sensível meio de explorar a liberdade do indivíduo – e tais explorações com frequência descrevem o que acontece quando essa liberdade é negada.”

“ … Sempre – a vítima, o estranho, o inimigo e o pária, o rosto na multidão – torna-se um ser completo pela graça do mágico pó da ficção – um pó cuja receita é um segredo aberto: total atenção ao detalhe, à empatia, ao respeito.”

Vale a pena ver o discurso todo – em inglês – no site dele:
Ian McEwan

Anúncios
Esse post foi publicado em Cotidiano. Bookmark o link permanente.

2 respostas para De Ian McEwan

  1. silvana disse:

    Gostei muito do último trecho Maria José. Vai me ajudar num trecho da tese. Parabéns pelo blog. Beijos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s